segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Gossip Girl

0 comentários


✭✭✭✭✭

*Pode conter SPOILER

Depois de alguns dias infiltrada em meu quarto, já com a cama marcada de tanto eu estar deitada, vendo televisão, terminei de assistir todos os episódios da série Gossip Girl.

Se você ainda não assistiu, você pode pensar: "Meu Deus, essa série com tanta futilidade?!", mas não é bem assim, a série te vicia e te mostra sobre a vida de gente rica como a "nata" de Upper East Side, bairro nobre na região de Manhattan, cidade de Nova York.
Intrigante e viciante, ela nos mostra como uma história tem sempre dois lados, aliás no caso de UES, três.

Os episódios são sempre tomados de lindos figurinos, festas exuberantes e novidades do mundo da moda, eu nunca me liguei nesse mundo, mas esse seriado tem uma fotografia incrível, que te faz ficar apaixonada por todo a beleza que ela traz.

A beleza nas cenas e sua foto é algo que nos chama atenção e faz a série ficar perfeita, mas o que com certeza, nos faz amar a série são seus personagens, não digo só os principais, mas também Dorota, com seu humor e amor incondicional por Blair ou Jenny Humphrey, com seus planos de tentar ser alguém importante, além de uma garota do Brooklin ou Eric com sua lealdade e coração puro?
Nessa série, somos capazes de amar um personagem e odiá-lo no episódio a seguir, mostrando o lado bom e negro de cada personagem, como não se encantar pela paixão, física, química que Chuck e Blair tinham um pelo outro?

O Chuck apesar de começar no lado negro, ele sempre foi meu preferido, na minha opinião, há personagens como ele que fazem qualquer série, filme ou seja lá o que for, ser especial, ter graça: comecei a assistir a série e não o achei bonito, mas ele é divertido, inteligente, charmoso, sexy, o que mais ele precisa? Para mim, nada.

E Blair? Com sua paixão/amor por Chuck Bass, seu jeito maquiavélico, porém leal para com seus amigos (do jeito dela) e o desfile que era os episódios com suas lindas lingeries, que me faziam ter vergonha das minhas kkkk

Serena sempre achei fofa, gostava dela, mas ela se apaixonava tão fácil e se entregava para qualquer um, não que isso seja um problema, mas realmente o amor que ela sentia pelo Dan para mim, depois de um certo ficou duvidoso, eu achava ela muito parecida com o Nate, pois ambos eram impulsivos na vida amorosa, por isso, acho que seria uma boa escolha ficarem juntos.

Sobre o Dan, o excluído tentando se infiltrar, ele era bem parecido com o pai e tentava sempre fazer a coisa certa e fazia, só tenho uma coisa não tão boa a dizer, tem uma época do seriado que eu achava que todo mundo que se juntava com ele ficava chato, pois a Blair era a que eu mais gostava na série, mas com ele, meu Deus...que tédio.

Para eles, a maior culpada de tudo era a Gossip Girl que divulgava notícias de todo mundo, mas o que não percebiam, é que a culpada não era quem divulgava e sim quem fazia a notícia acontecer, mas enfim conseguiram crescer.

Gossip Girl é cheia de histórias sujas, trapaças e armadilhas, mas nos mostra que nem tudo é perfeito, só porque o mundo se mostra lindo de fora, por dentro, pode não ser.
Para quem gosta de "um pouco" de drama, confusão, ironia, moda e música, recomendo!

xoxo ;)

sábado, 20 de dezembro de 2014

Você conhece a agência de notícia de direitos dos animais?

0 comentários

A ANDA, Agência de Notícias de direitos dos animais, é o primeiro portal criado exclusivamente com essa temática e surgiu da vontade de Silvana Andrade de levar informação ao mundo.
Silvana Andrade é jornalista, vegana (quem não come e nem compra nenhum produto de origem animal) e ativista pela causa, segundo ela, o projeto se desenvolveu, pois percebia a necessidade de conceder um espaço para mostrar o outro lado dos fatos e de criar um site de notícias que foque no assunto.

Outro diferencial do ANDA, além da ênfase na área de direitos dos animais é a proposta de dar oportunidade aos jornalistas, mostrando a importância da profissão na transmissão de informação. “O jornalista é de extrema importância, pois desde J. Gutenberg, sempre contamos com a mídia para o conhecimento e na causa não podia ser diferente, precisamos informar e mostrar a verdade”.
Para quem quiser enviar sua notícia, basta entrar no site, enviar sua matéria e depois de avaliada, ela será publicada.

Não podemos deixar de notar o crescente interesse pela causa, pois se antes eram poucas pessoas que agiam isoladamente, hoje com a vasta informação tudo isso mudou, “A causa animal não tinha repercussão, sempre eram as mesmas pessoas, os mesmos grupos que faziam e que tinham acesso, depois das mídias sociais, amplifica-se o conhecimento para mais pessoas e claro para ativistas”.

Com diversos assuntos em pauta como aquecimento global, veganismo e abandono de animais domésticos, o site vem ganhando espaço, tendo apoiadores como o apresentador e comediante Danilo Gentili, a cantora Zélia Duncan e a apresentadora e atriz Luisa Mell.

O site tem como missão ajudar na construção de uma relação ética e compassiva entre pessoas e animais, trabalhando assim, a educação com informação com base para seu sucesso.

Como um caminho para quem quer ajudar na causa, mas não sabe por onde começar e nem como agir, Silvana diz que tem muito a ser feito desde o veganismo até sendo um ativista social, mandando noticias, assinando petições, mailing pessoal e adotando animais.

Site do ANDA: http://www.anda.jor.br/

sábado, 3 de maio de 2014

Coadjuvantes ou protagonistas?

1 comentários
                                         

Reflito bastante sobre qual é a missão de cada um no mundo e o que cada um pensa sobre isso.
Eu vivo e luto inconstantemente por isso, deixar minha marca no mundo, mas há os que acreditam que viver e ser um cidadão direito, trabalhar, beber a cervejinha no final de semana pagar as contas já basta para fazer sua parte.

Será que é isso mesmo?

Na prática, se você pensa assim, não acredito que esteja errado, afinal sua contribuição para fazer o mundo continuar rodando está sendo feita, mas é realmente isso que você espera que o mundo te dê em troca?

Talvez eu esteja errada de esperar tanto das pessoas, porém não entra na minha cabeça como alguém pode reclamar de algo, mas não fazer nada para mudar ou viver apenas para fazer parte do sistema.
Sistema esse que quer exatamente isso da gente, ganhar para gastar, gastar para ter a necessidade de trabalhar para ganhar mais um pouco e aí o ciclo começa e recomeça.

Fazer parte do sistema te faz protagonista? 

pro•ta•go•nis•ta 

1. Principal .ator.
2. [Figurado]  Pessoa que ocupa o primeiro lugar em qualquer acontecimento.
3. Promotor.
4. Interveniente em episódios da vida .cotidiana.

Fazer parte do sistema não seria somente deixar a vida passar, pelo menos um pouco feliz? 

Talvez eu só deva relaxar, aproveitar cada momento e parar de esperar tanto de todos, mas será que estamos aqui só para isso mesmo, não consigo acreditar que o proposito disso tudo, é somente para no final, esperar minha morte.

Devido ao mundo em que vivemos com tantos problemas sociais é tão pouco viver nossa própria vida, seria realmente muito bom, não pensar em tantas coisas, viver com a cabeça mais vazia, com menos preocupação, preocupações essas que muitas vezes nem deveriam ser minhas ou na verdade não são, só é impossível fechar os olhos quando você já os abriu.

Aquela historinha de cada um tem um dom, cada um tem uma missão, acho extremamente real e válida, só temos que descobrir isso e saber como usar para melhorar a sociedade a nosso redor.

Muitos devem estar levando e pensando: “tadinha, nada disso adianta, afinal, olha a corrupção, olha quantas pessoas passam fome, olhem quanta gente que não presta”, mas eu acredito que se você não faz nada para melhorar ou pelo menos para se informar, sobre tudo que possa te incomodar, você é conivente!

Eu prefiro fazer parte da galera que deixa os olhos abertos e faz 0,000000001% do que fazer parte de um povo que assiste futebol, tomando uma cerveja e deixando de questionar de qualquer conceito que te rotulam.

Não quero deixar uma mensagem de uma pessoa certinha, de como você deve seguir sua vida, mas sim uma reflexão se não estamos vivendo tão superficialmente perante a sociedade.

Se eu estiver errada ao pensar assim que eu comece a aprender tudo de novo e que eu perca essa necessidade que eu tenho de me fazer sentir completa e de completar um pouco o mundo.

Eu me sinto um estrangeiro
Passageiro de algum trem
Que não passa por aqui
Que não passa de ilusão
Entre americanos e soviéticos, gregos e troianos
Entra ano e sai ano, sempre os mesmos planos




quinta-feira, 1 de maio de 2014

Um sorriso ou dois - Para mulheres que querem mais

2 comentários


Nota: 

Conheci o trabalho do Frederico Elboni pelo facebook, não sei dizer o primeiro texto que li dele, mas foi um que pensei: "Nossa, se todo homem pensasse assim", porém depois não continuei acompanhando seus trabalhos, mas logo que vi que ele tinha feito um livro, comprei na hora e não me arrependo nenhum pouco, como prova disso, uma semana depois, pedi outro para presentear.

O livro é composto por diversas crônicas que relata casos comuns, que todas nós já enfrentamos e já questionamos um dia, do ponto de vista de um homem, também contém crônicas mais literárias e “quentes” digamos assim..rs

Os textos são de leitura fácil e gostosa, são coisas simples, porém que nos faz pensar se não estamos levando a vida de maneira tensa demais e desnecessariamente confusa, ele fala de assuntos como amor, gostar, saudade como ele realmente deveria ser visto, de maneira simples e principalmente descomplicada.

Esse livro é aquele que cada vez que você ler tirará lições diferentes, pois acredito que dependa também do momento que você está passando na vida pessoal, social e/ou amorosa.

Recomendo muito esse livro e depois de ler, repasse, pois com certeza vale muito a pena!

Mais amor e mais Frederico Elboni para todos nós!



domingo, 16 de março de 2014

O prazer da paixão

0 comentários

Estudos dizem que paixão pode durar até 4 anos, há quem diga que dura para sempre.
O diferencial da paixão para o amor é a borboleta no estômago, o acelerar do coração ao ver ou falar com a pessoa, o desejo intenso...esses sintomas são recorrentes de quando estamos apaixonados e não é a melhor época de um relacionamento?  O que vem depois disso?
No começo, há a descoberta de uma nova pessoa com jeitos diferentes do que você está acostumada, mas  isso parece passar desapercebido ou não damos muita importância, já que a vontade de tê-la por perto é maior que qualquer insegurança que venhamos a ter, época de sorrir por tudo, das qualidades e dos defeitos, é quando nossa prioridade é a felicidade e não opiniões de outras pessoas ou problemas que venham a aparecer, é aquele momento: em que tudo vai passar e que nada tem importância a não ser os dois.
Paixão faz o diferente não nos dar medo e sim ser especial, ser o que nos faz querer mudanças.
No amor, temos a calmaria, a paz, estar com alguém que faz você se sentir em casa, sentir que tem um lar, eu acredito que a duração de paixão e amor, varia muito, de relacionamento, paixão pode durar bem pouco, pois o amor as vezes vem rápido, não que o fogo apague, ele continua ali, mas a urgência não é tão grande como antes, a paz que o amor nos traz, nos consola e nos traz a segurança, segurança essa que nos dá a certeza de que não precisamos ter tanta pressa, que na verdade, tudo dará certo.
Esses pequenos prazeres como estar com alguém, sentir aquele friozinho na barriga, coisas simples que não se paga e nem se iguala.



* Na foto, o filme Diário de uma Paixão.

Líderes sociais

0 comentários


Comecei a escrever num blog chamado Letra Exposta, infelizmente entrei numa época não muito fácil e ele acabou não dando certo, mas está ai um dos textos postados por mim, o tema da semana era: Lideres Sociais.
Quando li o tema "grandes líderes sociais" fiquei pensando sobre os famosos Luther King, Nelson Mandela, Madre Teresa de Calcutá, mas tudo o que eu saberia falar, seria o que está escrito em suas histórias, algo que nada que uma pesquisa rápida no pai Google, não resolva a situação e que se eu o fizesse, não teria nada de diferente que o fizesse estar aqui para ler, certo?
Pensei e dei uma pesquisada sobre o conceito de líder social, mas não achei nenhuma definição que fosse correta, que deveria ser seguida fielmente, mas vou tentar pelo que eu li e conheço.
Um líder social é aquela pessoa que de alguma maneira luta, trabalha para melhorias em seu bairro, cidade e/ou numa causa visando um bem maior a sociedade, um resultado diferente dos que os líderes políticos tem feito por aí.
http://letraexposta.wordpress.com/wp-includes/js/tinymce/plugins/wordpress/img/trans.gif
O mundo está cheio de pessoas do bem, fazendo sua parte, correndo atrás das coisas que acreditam, normalmente quando se fala no assunto, pensamos nos poderosos, naqueles que vemos na mídia, mas eles são só alguns perto de tantos outros, a verdade é que se você quer ser alguém que faça a diferença, não tem coisa mais fácil do mundo do que agir, pois tem tanta coisa errada, tanta coisa para consertar.
Diante disso, comecei a pensar quem seriam os lideres sociais que eu conheço, que de alguma forma fez a diferença em algum lugar.

Grupo de Franco da Rocha que conheci por acaso e que todo ano faz o trabalho na cidade deles distribuindo brinquedos as crianças carentes e também adotando algumas famílias levando roupa, sapatos, produtos de higiene e cesta básica.

Ana Paula Maciel, brasileira presa na Rússia, após protestar contra a exploração de Petróleo no Ártico.


Operação Mais Pão, Menos Opressão - Organizada pelo grupo Anonymous, essa operação se organiza e distribui comidas, roupas e kit de higiene pessoal aos moradores de rua, sem contar que além dessa operação, o grupo se organiza no mundo inteiro contra grandes empresas que só querem saber do dinheiro e esquecem da sociedade.

Ricardo Tripoli que implantou o primeiro e o segundo hospital publico veterinário no estado de São Paulo.

Julia Colle, uma das pessoas que estava acorrentada no Instituto Royal protestando contra o uso de animais nos testes e que graças a essa atitude recebeu um grande enfoque da mídia e acabou acontecendo a invasão e o protesto, infelizmente, ela se suicidou dias antes da invasão.


Movimento Passe Livre, responsável pela luta contra o aumento dos R$ 0,20 na passagem, creio que cada pessoa na manifestação foi importante para o resultado final, mas para quem não tem conhecimento de movimentos sociais, ver este fazendo alguma coisa, com certeza, foi essencial , não acho que o objetivo seja prioridade para o nosso país, mas sair de casa e ver o tanto de gente na rua lutando por alguma coisa, foi espetacular!

Algumas das pessoas acima são bem criticadas pelos seus interesses pessoais, pois muitos dizem que fazem isso para crescimento, para ganhar fãs, dinheiro, fama, enfim, mas coloquei elas como exemplo por suas ações e não pelos interesses, acredito se alguém está fazendo o bem é isso que importa, enquanto alguns criticam, eles fizeram algo.
Para finalizar, deixo uma metáfora sobre fazer a diferença nesse mundo:
"Era uma vez um escritor que morava numa tranquila praia, perto de uma colônia de pescadores. Todas as manhãs ele caminhava à beira do mar para se inspirar, e a tarde ficava em casa a escrever.
Um dia, enquanto caminhava na praia, ele viu um vulto que parecia dançar. Ao chegar perto, ele reparou que se tratava de um jovem que recolhia estrelas-do-mar da areia para, uma por uma, deitá-las novamente ao oceano.
- Por que fazes isso? – perguntou o escritor.
- Não vês! – explicou o jovem – a maré está baixa e o sol está a brilhar. Elas irão secar e morrer se ficarem aqui na areia.
O escritor espantou-se.
- Meu jovem, existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora, e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pela praia. Que diferença faz? Deitas umas poucas de volta ao oceano. A maioria vai morrer de qualquer forma.
O jovem pegou mais uma estrela na praia, deitou de volta ao oceano e olhou para o escritor.
- Para esta aqui eu fiz a diferença…
Naquela noite o escritor não conseguiu escrever, sequer dormir. Pela manhã, voltou à praia, procurou o jovem, uniu-se a ele e, juntos, começaram a jogar estrelas-do-mar de volta ao oceano."
E você já fez o bem hoje?

* Texto escrito em janeiro de 2014.

domingo, 5 de janeiro de 2014

Você age como mãe?

0 comentários


Ultimamente, tenho parado muito para reparar nas mães que vejo no dia-a-dia, nas ruas, ônibus etc e infelizmente, não tenho visto amor, o que vejo é a obrigação para com seus filhos, digo isso, pois cansei de ver cenas em que a filha pequena falava com a mãe e ela ignorava, falava para ficar quieta ou quando a mãe está caminhando a passos largos, o filho por sua vez, caminhava bem atrás, quase correndo, tentando alcançar os passos da mãe e você já reparou como está sendo como mãe?

Você pode estar pensando: tenha filhos e depois procure entender!
Entendo o quanto a vida materna pode ser estressante, pois a maioria cuida da casa, filhos e marido, acredito também que esse tipo de atitude como o "distanciamento" acontece pelo fato de que em muito dos casos, a mulher tem que deixar seus planos para se dedicar a uma vida em que ela não pensava ter tão cedo, ainda mais quando você tem filho jovem, acabando assim descontando a frustração em quem não tem nada haver, nada justifica esse tipo de atitude, a criança não tem culpa das falhas dos pais e nada deveria ser mais prioridade do que o amor materno, vejo crianças mendigando amor quando o certo (pelo menos, na teoria) isso teria que ser o essencial. 

Assisto muito o programa Super Nany que muita gente se refere em tom de piada, mas que muitos deveriam assistir para tirar algumas lições e o que percebo no programa é que o problema não estão nas crianças das famílias participantes e sim com os pais que não sabem administrar a vida de casado e quem paga a conta no final são as crianças. 

Em vários episódios que assisti, as crianças faziam shows, manhas e no fim, era só falta de um abraço ou de uma palavra que demonstre os sentimentos, pois tem coisas que sabemos, mas que precisamos ouvir para mentalizar, sentir, se é assim conosco que já temos alguma experiência de vida, imagina como não é para uma criança que tem a família como espelho. 

Não quero dar lição de moral, até porque eu não sou a pessoa que mais demonstra amor no mundo, mas tenho visto esse tipo de atitude e é inevitável não comentar.

A reflexão que quero deixar para vocês é: Você já deu um beijo no seu filho hoje? Já falou o quanto o ama?
Comentem!